quarta-feira, 27 de maio de 2020

Livro 58: Casa de vidro


Sinopse: As projeções que fazemos de nossas atitudes não deveriam nos envergonhar, se a planejarmos. Sem pesar, elas registrariam nosso percurso de vida, imprimindo bem-estar a quem lhes fizesse referência. A trajetória de Laís e seus inesperados comparsas incumbidos de enriquecer desmedidamente, porém, cega-lhes a noção de respeito e decência e, inevitavelmente, atinge as pessoas mais próximas,muitas vezes quase lhe aniquilando os sentimentos, como com seu marido Ivan. Descendendo de uma tradicional família de diplomatas e farmacêuticos russos, será pelas inúmeras paredes de vidro de sua casa que ele conseguirá vislumbrar um sentido para sua vida, diferente de tudo que jamais imaginara, com uma nova e bela vizinha a desnudar-lhe as mais deslumbrantes paisagens da alma. Emoção, fortes amizades, encontros, intrigas, veladas trapaças e um belo romance envolvem os personagens dessa obra de ficção.



Opinião: Eu achei o livro muito fofo e verdadeiro. Faz o leitor entender e enxergar o quanto ás vezes você não compreende mas aceita aquilo que está acontecendo em sua própria vida.
Ivan está em um relacionamento a décadas pode-se assim dizer e pra ele por mais que não goste dela e de sua personalidade, é um relacionamento sei lá por que aceitável. Até ele saber de verdade o que é amor quando encontra Marcela. 
Você entende também o quão as pessoas podem ser manipuladoras e falsas e serem tão próximas a você que é quase predominantemente impossível adivinhar que aquelas pessoas te queriam tão mal.
Mas o livro não mostra apenas o lado ruim da coisa não. Mostra o amor de verdade entre duas pessoas que passaram a vida se procurando, duas pessoas já vividas, e que o amor pode demorar a chegar, mas ele chega. Ele mostra o quão é importante ter amigos de verdade em sua vida, e o quão eles podem te defender em momentos que você não tem força.
Achei um linda história é que assim pode-se dizer bem real ao nosso cotidiano. Vale a leitura e compreensão de trazer a história um pouquinho pra vida real!

" Afinal, um passo á frente não indica necessariamente progresso, e todo comportamento presente é semente das lembranças que traremos em nós."

" Todos nós temos nossa casa de vidro. Ela simboliza o contorno do nosso medo, aquele bem lá no nosso interior, no nosso inconsciente. Um medo que temo ou de que algo se estilhace, ou que dê errado, ou que alguém se vá. É a nossa vulnerabilidade ao mundo exterior. Nossas fraquezas, que muitas vezes nem sequer conhecemos, também estão lá, bem guardadinhas na nossa casa de vidro. Por isso ela exige delicadeza da nossa parte. Devemos tratar bem os nossos receios, sem despreza-los porque eles podem representar as nossas próprias estruturas; se descuidarmos deles, tudo ao nosso redor pode ruir. Não os considero nossos defeitos. Esses nossos receios são apenas sentimentos que não podem ser desprezados; são frágeis e precários, como uma parede de vidro." 

" O amor ás vezes pode assumir uma forma estranha mesmo..."

" É a vida que nos traz, essas respostas. A grande tacada é saber distinguir o que estamos fazendo por imposição, daquilo que fazemos por impulso próprio, por vontade nossa."


Essa semana tem vídeo resenha lá no youtube sobre ele!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atualizações do Instagram

SnapWidget · Free Widget