domingo, 5 de abril de 2020

Livro 14: Passarinho


Sinopse do livro: O avô de Joia parou de falar no dia em que matou o irmão dela. O menino se chamava John, e achava que tinha asas. Subia e saltava do alto de qualquer coisa, até ganhar do avô o apelido de Passarinho. Joia não teve a chance de conhecê-lo, pois Passarinho se jogou do penhasco bem no dia em que ela nasceu. Ainda assim, por muito tempo ela viveu à sombra de suas asas. Agora, aos doze anos, Joia mora em uma casa tomada por silêncio e segredos. Os pais culpam o avô pela tragédia do passado, atribuem a ele a má sorte da família. Joia tem certeza de que nunca será tão amada quanto o irmão, até que ela conhece um garoto misterioso no alto de uma árvore. Um garoto que também se chama John. O avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy — um espírito maldoso —, mas Joia sabe que isso não é verdade. E talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu.


Opinião: Melhor livro que li em 2016, disso tenho certeza. Comprei o livro sem saber sua história ou conhecer a autora, apenas porque estava lá na livraria, não ia nunca acreditar que seria o melhor livro até hoje. Desde a primeira página até a última meu coração sofria de taquicardia, se reconstruía e despedaçava ao mesmo tempo, sofria e sorria.
 Joia nasceu exatamente no dia que seu irmão John - apelidado pelo avô de passarinho - se jogou do penhasco da cidade, por isso odeia seu nome, seu aniversário, ás vezes sua família que também odeia o penhasco por achar que é amaldiçoado. O avô de Joia carrega também a maldição do dia que John morreu, desde então ele não fala, e a família discute por tudo na casa, todos sofrem por causa desse dia.
Hoje Joia tem 12 anos, é uma menina doce, inteligente, mas solitária e triste com tudo que sua vida carrega e só tem uma coisa consigo, o penhasco.
A família de Joia não quer que ela vá ao penhasco, pois acreditam que é amaldiçoado, que existe Duppy que influenciaram John a pular de lá. Joia em contrapartida ama o penhasco, ela não sabe dizer o que sente, mais se sente muito bem lá, é o seu lugar. Todo aniversário seu, ela vai no penhasco e coloca mais uma pedra no seu circulo - e aqui onde ela pensa, conversa, sorri e chora-  ela acha que o penhasco fala com ela. Ela acaba conhecendo nessas idas e vindas Eugene, que se passa por nome John, e ficam grandes amigos. Joia divide com Eugene suas dores, sofrimentos, ideias, mesmo ele escondendo tantos segredos. Mas ao fim descobre um no outro a metade que faltava.
Tudo que Joia queria era que sua família parasse de sofrer, de esconder tantos segredos, que a amassem mais, que seu avô voltasse a falar, e que pudessem reconstruir sua família. Mas depois que Eugene entra na vida deles tudo parece desmoronar.
Existe muito mais moral na história de John e Joia do que se pode aparentar o enredo, são tantas lições a serem aprendidas... A história foi tão bem escrita, os personagens tão bem formulados, os sentimentos tão bem expressos que mais parecia uma história real quando li, e me perguntei a trama toda se não seria. Os pensamentos que Joia tinha durante a história eram exatamente o que eu tinha na mesma idade dela sempre que havia brigas em casa. A cada página era uma surpresa, uma lição. Ao fim quando achamos que está tudo acabado, a trama dá mais uma reviravolta e mais uma surpresa.


" A maioria das pessoas não vê o que está bem a sua frente porque não sabe o que procurar. E quando passam a saber ficam se perguntando como não viram aquilo antes."

" Se você entrega muito de si a alguém, rápido demais, essa pessoa pode simplesmente ir embora e levar tudo. E quando se trata de alguém como eu, que já não tenho muito além de mim, bem, é preciso ter cuidado redobrado."

" Por que tentar fazer alguém compreender certas coisas pode levar mais que uma vida, enquanto outras pessoas levam apenas poucos instantes?"

" Quando algo que você ama é tomado e você, as palavras são inúteis. De que adianta as palavras se elas são vazias, impotentes ou falsas? Por que não ficar em silêncio até o último minuto da eternidade?"

" A felicidade é como uma criança, ou a alimenta, ou ela morre."

" Acho que as pessoas podem ter mais de uma camada, assim como a terra, estratos diferentes empilhados um sobre o outro. Se você cavar, pode descobrir outra camada em alguém. E ás vezes essas camadas podem ser surpreendentes."

" Você e seu irmão são como um sistema binário fechado. Estrelas sabe? As estrelas quase nunca estão sozinhas. As estrelas podem vir em constelações, só que é mais comum que venham em pares. Um sistema binário. Ás vezes, as estrelas binárias têm órbitas bem próximas, muito mais do que o normal. É por isso que são chamadas de sistema binários fechados. Então, as estrelas com menos massa orbita seu par de maior massa. Ás vezes, essas duas estrelas são tão próximas que chegam a transferir matéria uma para a outra. Partes das estrelas saem voando para a outra, atraídas pela força gravitacional de sua companheira. E vice-versa. Cada estrela é transformada pela outra. É por isso a composição das estrelas muda, assim como muda a maneira como elas se desenvolvem no futuro. Ele está em você. E você está nele, onde quer que esteja."



Alguém já leu esse livro? O que acharam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atualizações do Instagram

SnapWidget · Free Widget